#LeiaMulheres Item da lista Literatura

Um teto todo seu por Virgínia Woolf e mais

Lista “Mulheres, literatura e libertação”

3- Um teto todo seu por Virginia Woolf

“Um teto todo seu” é um ensaio de Virgínia Woolf sobre a relação entre as mulheres e a literatura, seja como personagens, seja como escritoras. Mesmo não sendo ficcional, tem uma leitura fluida, envolvente e também chocante: nele percebemos a invisibilidade da mulher no universo intelectual até muito pouco tempo.


O texto articula a importância da independência financeira para a liberdade e a escrita, a importância de “um teto todo seu”.  Contudo, não para por aí, revela ainda que as mulheres, mesmo reunindo todas as condições e talentos para o bom texto, não necessariamente teriam leitores. O que teria a dizer de importante uma mulher? Daí que Virgínia Woolf arrisca-se a declarar que ” ‘Anônimo’, que escreveu tantos poemas sem cantá-los, com frequência era uma mulher. (p. 73)” O anonimato era uma estratégia de visibilidade; um desconhecido teria mais chance de ser lido do que uma mulher

No Ensaio, ainda vemos uma análise da função da escrita no contexto da opressão feminina, outro tema importante para esta lista. Virgínia Woolf descreve uma evolução na forma como as mulheres começam a escrever: a mulher “pode estar começando a usar a escrita como arte, não como um método de autoexpressão. (p. 116)” E era verdade: mais de noventa anos se passaram e a realidade denunciada em “Um teto todo seu” encontra-se completamente alterada.  Hoje, é impossível contabilizar a contribuição feminina para a literatura, a distinção de gênero é frequentemente apenas perceptível pela forma como nós nos sentimos representadas pelas histórias de escritoras mulheres. Algo que também vemos em”Um teto todo seu” (p. 126):

“Seria mil vezes uma pena se as mulheres escrevessem como os homens, ou vivessem como eles, ou se parecessem com eles, pois se dois sexos é bastante inadequado, considerando a vastidão e a variedade do mundo, como faríamos com apenas um.” 

Nossos medos e sonhos passam a estar presentes em livros que ganham destaque no competitivo cenário cultural. Passam a fazer parte da nossa história e a ser a substância de nossa própria produção cultural. Por esta razão, quero finalizar esse texto com mais dois itens da lista:

4- Atado de Ervas de Ana Mariano

5 – A rua dos secretos amores de Jane Tutikian

Há nestes dois livros espaço de fala para personagens lindas e muito diferentes, representando as tantas formas possíveis de ser mulher e que nenhum estereótipo, seja ele conservador ou libertal, deveria submeter. Super recomendo que vocês conheçam Miguelina, Leonor, Guilhermina e outras personagens de Ana Mariano em “Atado de Ervas”; e as moradoras das casas 13, 47, 83 e outras personagens da vizinhança de Jane Tutikian em “A Rua dos Secretos Amores”.

Hoje, se Virgínia Woolf pudesse escrever um novo prefácio, teria ainda uma história de revolução para contar, uma luta que tão pioneiramente foi também sua.

#LeiaMulheres por uma #Rendeira

Texto elaborado originalmente para RendeirasRS

Referências:

MARIANO, Ana. Atado de ervas: romance. Porto Alegre, RS: L&PM, 2012. 
TUTIKIAN, Jane. A rua dos secretos amores. Porto Alegre: WS Ed, 2002. (Série Narrativas, v. 29). 
WOOLF, Virginia. Um teto todo seu. São Paulo: Tordesilhas, 2014.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: