#LeiaMulheres Item da lista Literatura

O perigo de uma história única com Chimamanda Ngozi Adichie e Marjane Satrapi

Lista “Mulheres, literatura e libertação”

Apresento de uma só vez 4 itens da nossa lista por considerá-los muito relacionados. Duas autoras geniais, Chimamanda Ngozi Adichie e Marjane Satrapri, duas obras de cada uma. Obras reunídas aqui por demonstrarem lindamente que:

– o mundo é feito de infinitas realidades;

– as histórias únicas (disseminas pela indústria cultural dominada pelos países ricos) são absolutamente incompatíveis com uma visão verdadeiramente esclarecida sobre as inúmeras formas de ser e viver.

Assim, lá vai!

14- O perigo de uma história única por Chimamanda Ngozi Adichie

“O perigo de uma história única” é outro livro de Chimamanda Ngozi Adichie pequeno no tamanho e grande no conteúdo (também derivado de um Ted Talk da autora- vídeo abaixo).

Síntético e contundente, o texto provoca uma profunda reflexão sobre as relações entre indústria cultural e poder; conhecemos pela música, cinema e literatura a realidade das grandes potências econômicas, mesmo que ela não guarde qualquer semelhença com nossa própria realidade.

Como resultado, conhecemos aquilo que não temos e seguimos não conhecendo quem somos. Uma ignorância que nos afasta da consciência cidadã e da auto-estima necessárias à transformação social (algo muito conveniente à perpetuaçao da subserviência).

Chimamanda assim descreve o perigo da história única:

“Como eu só tinha lido livros nos quais os personagens eram estrangeiros, tinha ficado convencida de que os livros,por sua própria natureza, precisavam ter estrangeiros e ser sobre coisas com as quais eu não podia me identificar. Mas tudo mudou quando descobri os livros africanos. Não havia muitos disponíveis e eles não eram tão fáceis de ser encontrados quanto os estrangeiros, mas, por causa de escritores como Chinua Achebe e Camara Lave, minha percepção de literatura passou por uma mudança. Percebi que pessoas como eu, meninas com pele cor de chocolate, cujo cabelo crespo não formava um rabo de cavalo também podiam existir na literatura. Comecei então a escrever sobre coisas que eu reconhecia.”

(ADICHIE, 2020, p. 13)

15 – No seu pescoço por Chimamanda Ngozi Adichie

“O perigo da história única” é contraposto pela própria Chimamanda com o conjunto de sua obra, mas, em minha opinião, principalmente, com o bélissimo “No seu pescoço”. Esse livro reúne contos curtos tão brilhantemente escritos que cada conto parece um romance. Chimamanda nos faz conhecer a Nigéria sob diferentes aspectos: político, religioso, econômico, cultural … com personagens potentes e enredos carragados de tensão social. Comovente e informativo, “No Seu Pecoço” fala da Nigéria como uma grande obra da literatura mundial.

16 – Persépolis por Marjane Satrapi

Persépolis são os quadrinhos auto-biográficos de Marjane Satrapi que mostram a derradeira influência do Estado Religioso sobre a liberdade das mulheres. Sensível, divertido e político, Persépolis retrata em texto e imagens a importância da defesa do Estado Laico .

Com a promessa de realização utópica de conquista do Paraíso, o Estado com “Deus” no comando alcança o oposto: o verdadeiro inferno na Terra. Na ausência de uma visão instruída sobre o mundo, o pensar é substituído por dogmas religiosos repetidos à exaustão, impondo fortes mecanismos de opressão. Hoje, conhecer o Irã é, mais do que nunca, um alerta para nos precavermos das ameaças daqueles que em nome de um Deus buscam restringir liberdades com intenções, na realidade, nada santas.

17 – Bordados por Marjane Satrapi

Em Bordados, ao contrário de Persépolis, Marjane Satrapi enfatiza a condição feminina independente do Estado. Esse livro é feito para aquelas pessoas que possuem dificuldade para se solidarizar com a realidade dos que vivem em condições culturais tão diversas das suas próprias. Em “Bordados”, acabamos por ver que, no fundo no fundo, somos todos muito parecidos.

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. No seu pescoço. São Paulo: Companhia das Letras, 2017. 

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

SATRAPI, Marjane. Bordados. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. 

SATRAPI, Marjane. Persépolis. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. 

#LeiaMulheres #Chimamanda #MarjaneSatrapi #Persepolis

Texto elaborado originalmente para Conexão Rendeiras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: