Literatura

Eu, detetive, e a morte da sra. Westaway

Adoro romances policiais desde criança. As histórias que envolviam algum tipo de mistério a ser desvendando sempre eram as que mais me atraiam. Adorei dois livros muito infantis que se chamavam “Eu, detetive: o caso de…” (seguia o nome do crime a ser solucionado). Na coleção vaga-lume, os enredos policiais eram também preferidos aos dramáticos. Nestas, nunca li “Éramos seis”, por exemplo. Depois, claro, veio Agatha Christie, mas aí já eram tempos de oitava série, logo seguidos do segundo grau. Neste momento, os romances policiais foram perdendo espaço para a literatura brasileira e seus vários estilos, antecipando a aposentadoria de minha carreira como detetive literária de tempo integral.

Hoje, gosto de ler diferentes autores, de diferentes países, com tramas muito variadas, mas, ainda, dentro desta diversidade, não abro mão de, vez por outra, ler um excelente policial. Alguns são policiais, mas são também obras-pimas, como “Sobre os ossos dos mortos” da nobelista Olga Tokarczuk; outros são mais triviais, um enredo com pistas que vão se encaixando graças a perspicácia de um bom detetive (Sherlock Holmes, Poirot, Miss Marple, Nero Wolf, Maigret…).

Por indicação de Maria do Rocio (Fontoura Teixeira), numa divertida sessão do “O que você está lendo?” do Super 8, descobri “A morte da Sra. Westaway” de Ruth Ware. A capa do livro diz, e eu concordo, que ela tem um estilo muito parecido com o de Agatha Christie. Contudo, me pareceu ter uma qualidade adicional: a capacidade de agregar sensibilidade à construção dos personagens. O enredo não é apenas policial, mas também humano, familiar, afetivo.

De início lento para logo engrenar num ritmo eletrizante, foi o livro que tirou o sono desta madrugada, aquele colocado de lado simplesmente porque o final chegou. Faz comover com a descrição de uma cena de abraço, o que torna “A morte da Sra. Westaway” um livro também sobre a vida, que, diga-se de passagem, quando bem contada, requer um bom detetive para descobrir suas pistas. Assim, para os fãs do estilo, super recomendo este livro. Outras obras da autora já foram para a pilha, estão a espera da próxima temporada de policiais.


#romancepolicial #leiamulheres #literatura #ruthware

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: